RISCOS DA CAMINHADA

RISCOS DA CAMINHADA

     “Sede sóbrios e vigilantes, o diabo, vosso adversário, anda em derredor, como um leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo. Ora, o Deus de toda graça, que em Cristo vos chamou Ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar”.

                                                                                            1ºPed. 5.8-10

     Que texto maravilhoso temos para a nossa meditação, pois, o mesmo abre nossos olhos para os perigos que vamos enfrentar durante nossa peregrinação por este mundo, dando-nos o remédio para suportarmos e enfrentarmos esses perigos e ao mesmo tempo nos exorta à confiança naquele que nos chamou e cuida de cada um de nós, firmando a nossa vida nesta difícil caminhada, afinal, estamos transitando pelo caminho estreito, difícil de ser transposto, mas glorioso em todos os aspectos e o que nos faz continuar firmes e animados é ter a certeza da vida eterna que nos está proposta depois dessa caminhada.

Imagine por um momento você em uma floresta, caminhando, observando tudo, com vários perigos em redor, a adrenalina lá em cima, ouvindo o barulho dos bichos, tremedeira em alta, um suspense extraordinário e de repente você se depara com um leão bravio, faminto, louco para devorar uma presa; O que fazer nesta situação? A beleza em redor é espantosa, mas o susto de se deparar com um leão torna-se maior. Creio que o indivíduo fica imobilizado, estático, que não dá pra raciocinar no que deve ser feito em questão de segundos. Não é assim que o diabo faz conosco, distorcendo as coisas a ponto de ficarmos espantados e sem ação, sendo enganados como Eva?

O texto está dizendo que o diabo é como um leão bravio e faminto, buscando a quem possa devorar e muitas vezes ele nos pega com a guarda baixa, pois ele chega usando de artimanhas e artifícios para ludibriar aqueles que não estão vigiando. Pedro está dizendo para sermos sóbrios e vigilantes, mantendo o equilíbrio, a guarda alta, para que ele não nos pegue de surpresa. A Bíblia nos apresenta o diabo como “inimigo de nossas almas”, e dele podemos esperar de tudo para que a nossa caminhada com Deus seja prejudicada ou até mesmo interrompida. O inimigo não quer que cheguemos ao fim de nossa carreira cristã com vitória, mas, o papel dele é influenciar-nos ao desânimo e a frustração. Ele se apresenta também disfarçado de bonzinho e esse disfarce tem enganado a muitos, pois é astuto e traiçoeiro. A advertência Bíblica é muito importante: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”. João 10:10. A expressão “o ladrão” está falando exatamente do diabo que se apresenta sorrateiramente, a fim de destruir a vida do crente, colocando em seu coração a certeza absoluta de que sua ação está agradando a Deus em todos os sentidos. O fato é que ele está sempre preparado para passar uma rasteira no indivíduo.

Já parou pra pensar que ninguém gosta de vigiar? Vigiar é esperar constantemente, é estar sempre alerta e isso pode ser difícil, cansativo, não dá emoção, por que as pessoas gostam de ação e de viverem perigosamente. Uma vez conversando com um vigilante noturno de um banco onde trabalhei, ele me disse que tinha noites que o silêncio era tão grande que dava tempo até para dormir. Espiritualmente falando tem muitas pessoas dormindo e é nesse ponto que mora o perigo, pois podemos vigiar um período, cansarmos no outro e dormirmos no outro. O que acontece é que ao invés de defendermos do nosso adversário, somos atacados por ele.

Outra questão que envolve a vigilância extrema é com relação à volta do Senhor: “Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo.” Marcos 13.35-36.

Quantos que durante a sua peregrinação dormiram, desobedeceram e tiveram experiências lastimáveis, lutas intensas, momentos inesquecíveis não pelo prazer que tiveram, mas, pelos desgostos e dor que amargaram por desprezar os conselhos bíblicos e quantos são os que estão dormindo, anestesiados pelo pecado que os rodeia. É tempo de acordarmos e separarmos nossas vidas para Deus, a fim de que, no momento determinado Ele possa nos usar como faróis bem calibrados num mundo tão cheio de trevas, como pontes que servem para o evangelho chegar até outra vida. Que sejamos como água cristalina no meio de um deserto tão seco.

Os conselhos que nos são passados pela Palavra de Deus, são sempre exortando-nos a vigiar, estarmos atentos, permanecermos firmes em obediência, para que possamos correr com segurança a carreira que nos está proposta.

A parte final do texto em questão diz: “Ora, o Deus de toda graça, que em Cristo vos chamou Ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar”.

     O Senhor Jesus Cristo faz realmente um obra completa, tornando-nos pessoas com uma maturidade elevada, firmes na Palavra confiando em suas promessas, fortes para enfrentarmos as batalhas da vida e alicerçados em sua pessoa, que a Bíblia nos descreve como “Rocha Inabalável”.

Enfim, podemos concluir que para enfrentar os Riscos da Caminhada, precisamos nos armar bem, sabendo que o nosso inimigo é astuto e inteligente em suas estratégias. Paulo na sua carta aos Efésios nos alerta para isso: Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos. Ef. 6. 13-18

Muitos dos problemas que estão acontecendo no mundo como falta de maturidade, de firmeza, excesso de fraqueza espiritual, ocorrem justamente por faltar alicerces do conhecimento da pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo, que cuida de cada um de nós e nos conduz por caminho seguro.

“E LEMBRE-SE: É MELHOR VIGIAR DO QUE REMEDIAR”.

 

                                             Paulo Roberto Magri

                                      Casa de Oração – Uberaba MG

paulorobertomagri@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*
To prove you're a person (not a spam script), type the security word shown in the picture. Click on the picture to hear an audio file of the word.
Anti-spam image